Não é tinto e nem rosé: conheça o vinho feito com maconha A bebida promete "unir dois grandes prazeres", segundo o site oficial gplus
   

Não é tinto e nem rosé: conheça o vinho feito com maconha

A bebida promete "unir dois grandes prazeres", segundo o site oficial

Confira Também

Nos últimos anos, muitos pesquisadores e enófilos defenderam que consumir ao menos uma taça de vinho por dia faz bem ao coração. Pensando nisso, um grupo de profissionais e amigos resolveu aumentar o potencial medicinal da bebida e misturou cannabis (planta da maconha) à fórmula da bebida e, assim, criaram o "Cannawine". 

Lançado em 2015, a mistura levou cinco anos para ser aprovada pelos sócios do negócio. "Combinamos novas sensações, criatividade, inovação e sabores reais. É um produto pioneiro que combina o melhor da indústria de fabricação de vinho com a exuberância da cannabis. Por esta razão, estamos orgulhosos de agradecer não só aos que têm colaborado para tornar este desafio possível, mas também aos que decidiram experimentar e confiar em nós", diz um texto no site da marca.

Atualmente, o vinho está sendo vendido em algumas lojas físicas e farmácias na Califórnia – estado americano que autoriza a comercialização de produtos medicinais feitos com as substâncias encontradas na cannabis – e é comercializado para fins medicinais.

O produto, que é aromatizado com extrato de maconha, tem 14,5% de teor de alcoólico. Na composição são usadas 50% uvas garnacha e 50% de cariñena, e 50 mg de canhâmo com canabidiol em cada garrafa de 500 ml.
Ficou curioso? Para comprar o produto, entretanto, é necessário desembolsar uma quantia bem pesada de US$ 120 (R$ 386) a US$ 400 (R$ 1288) por garrafa.