Entenda o que é ter pegada Você sabe o que elas querem dizer quando afirmam que gostam de homem com pegada? Nosso colunista explica o teor da expressão gplus
   

Entenda o que é ter pegada

Você sabe o que elas querem dizer quando afirmam que gostam de homem com pegada? Nosso colunista explica o teor da expressão

Confira Também

Por Ricardo Coiro

A maioria dos machos acha que ter pegada é, simplesmente, não ter mão de alface e saber segurar uma cinturinha sem frouxidão. Pensamento raso. Percepção de moço inocente. Porque ter pegada, na concepção das moças, vai muito além da força nos dedos e da capacidade de manter o pulso firme na hora do “rala e rola”. Se fosse só isso, irmão, alguns apertões diários naquelas bolinhas terapêuticas seriam suficientes para que você, em poucos meses, adquirisse a tão almejada pegada. Mas suar a camisa, apenas, não basta para entrar no glorioso time dos que têm pegada.

A pegada, na verdade, é apenas o nome que elas costumam usar quando querem se referir ao leque de atitudes e comportamentos masculinos que as deixam de “zóio” virado, pernas bambas e queixo caído.

Você já viu uma criança segurando um hamster pela primeira vez? Não? Costuma ser bem assustador. E é exatamente como o hamster amedrontado nas mãos de uma criança afobada e desengonçada que as mulheres se sentem quando estão com homens sem pegada. Consegue visualizar a cena?

Ter pegada, grosso modo, é manter uma postura – não apenas física - capaz de fazer a mulher se sentir completamente segura e à vontade quando estiver com você na cama, no tumulto e, até, na mesa do bar. Ter pegada é saber se portar de uma maneira capaz fazê-la pensar: “Ele com certeza sabe o que está fazendo!”; esteja você a ajudando a pedir um prato de comida tailandesa, abrindo o sutiã dela ou, simplesmente, guiando-a pela nuca quando ela se sentir sem rumo.

Ter pegada é muito mais do saber em qual parte da coxa pegar. Ter pegada é, também, saber - sem precisar ser acusado de “grudento” - quando deve soltá-la. E deixá-la voar.

Ter pegada é saber ser um reflexo dos sinais (nem sempre tão decifráveis) dela. É ter coragem de se antecipar aos pedidos e desejos daquela que você quer surpreender. Como assim? Simples: se notar que ela está apavorada, irmão, faça com que ela se sinta segura, imediatamente. Se perceber que ela está morrendo de tesão e com vergonha de tomar uma iniciativa, não hesite em esquentar as coisas. Quando reparar que ela não está a fim de escolher o restaurante, tenha a coragem de dar uma sugestão.

E no sexo? O que é ter pegada? É, basicamente, ter a coragem necessária para agir sem que ela precise pedir, implorar ou dar uma indireta quase direta. Saca? É ter ousadia para deixar o seu lado mais primitivo comandar os seus atos, língua e discurso. É não ter medo de se amassar, sujar ou deixar arranhar. É transar, sempre, com a fome de quem acabou de sair da prisão, e a certeza de que a cama não é lugar para pudores e medo de se lambuzar.

“Então você quer dizer que segurá-la feito um bibelô frágil é permitido?” Até é, irmão; caso você queira ser visto como a pessoa ideal para fazer tranças no cabelo dela. E só. 


Ricardo Coiro