5 lições de empreendedorismo presentes em Game of Thrones A série de TV, que já é considerada uma das maiores de todos os tempos, transmite muitos ensinamentos sobre gestão gplus
   

5 lições de empreendedorismo presentes em Game of Thrones

A série de TV, que já é considerada uma das maiores de todos os tempos, transmite muitos ensinamentos sobre gestão

Confira Também

Você pode até não ter começado a assistir ainda, mas é muito improvável que não tenha ao menos ouvido falar de Game of Thrones. A série de grande sucesso do canal americano por assinatura, HBO, é uma adaptação da obra "As crônicas de Gelo e Fogo", que foi publicada por George R. R. Martin em 1996 e ganhou versão audiovisual em 2011. 

Entre muitas características da grandiosa obra de Martin, algumas das que mais se destacam são as alianças políticas e as batalhas que acabam sendo travadas, além das estratégias traçadas por personagens, que almejam conseguir vantagem sobre os inimigos e continuar em busca da maior posição possível na sociedade - o Trono de Ferro e, consequentemente, o comando de Westeros.

LEIA TAMBÉM

O que muitas vezes o público não percebe, no entanto, são os inúmeros ensinamentos que são transmitidos pela série sobre a relação com pessoas próximas e instituições. Lições que podem ser aplicadas por um empreendedor em uma empresa, por exemplo. Mas claro, apenas com a teoria da série contextualizada ao meio corporativo, nada de brandir uma espada por aí e amedrontar os colegas de trabalho... 

Confira alguns destes ensinamentos a seguir, mas cuidado! Caso você não tenha assistido a série até a sétima temporada, pode haver spoilers.


EXERCER A ARGUMENTAÇÃO
Não há como vencer alguma batalha sem a arte da negociação, muito menos triunfar em uma guerra. Antes de qualquer conflito desse porte, é preciso dispor de capital para arcar com os altos custos de um confronto bélico, o que Stannis Baratheon tentou fazer ao negociar um empréstimo com o Banco de Ferro de Bravos. Com as recusas da instituição para lhe conceder crédito, Sor Davos, seu conselheiro, precisou apresentar insistentemente argumentos sólidos a favor de seu líder, e conseguiu o tão desejado empréstimo bancário. 

No mundo corporativo, muitas vezes é necessário analisar bem uma situação e expor à outra parte na negociação os pontos positivos de um acordo, de modo incisivo e com argumentos fortes. Contar com um funcionário com a astúcia de Davos de Seaworth, já ajuda bastante.

SAIBA LIDERAR
Liderança talvez seja uma das virtudes mais difíceis de desempenhar, seja entre funcionários em uma companhia ou entre um exército de Imaculados de Yunkai. Daenerys Targaryen conquistou diversos lugares por onde passou ao longo da série e se rodeou de pessoas dos mais diferentes tipos. 

Soube ouvir os conselhos de Jorah Mormont, seu fiel escudeiro, procurou ser justa com seu povo e tentou, mesmo com dificuldades, encontrar o equilíbrio entre a benevolência e a rigidez de uma líder.
Uma outra característica de Daenerys que pode ser referência a um gestor, é dar espaço para sugestões de terceiros. O propósito deve ser enxergar as pessoas de confiança ao redor como gregárias, capazes de fazer a diferença.

NUNCA SE ACOMODE
Atingir um ponto em que sempre se desejou pode ser visto por muitos como uma linha de chegada, mas não deve ser assim. É difícil mensurar o que deve-se fazer após a meta batida, mas sim, é preciso criar novas perspectivas de negócio e de carreira.  Estagnar pode ser a oportunidade que os concorrentes estavam esperando para alcançar quem esteve por tanto tempo a frente. 

A casa Lannister, por exemplo, uma das mais poderosas dos Sete Reinos, sempre buscou crescer sua hegemonia.  Para isso, costurou durante boa parte da série alianças para se fortalecer, fortificou enquanto pôde seu exército e estudou maneiras de derrotar uma aventureira de cabelos galegos. Eles só não contavam com um Dragão.

SEJA SINCERO
Jon Snow talvez seja um dos personagens mais sinceros de Game of Thrones, às vezes até deixando de fazer uma aliança porque prefere não negligenciar nada a quem está tratando a parceria. Com sua honestidade nas palavras, em muitas de suas decisões conseguiu trazer para si muitos daqueles que duvidavam de sua capacidade ou índole.

O mesmo pode ser feito entre um empreendedor, seus liderados e parceiros comerciais, por exemplo. É importante deixar claro para todos as limitações do negócio, mas também o potencial de crescimento e o que está sendo feito para atingir esse avanço.  E isso, claro, pode ser facilitado com transparência e honestidade na relação entre as partes envolvidas no processo.

INFORMAÇÃO É PODER
Guardar com segurança as informações, inovação e estratégias de uma companhia é de extrema importância. É bom nem pensar nos dados confidenciais caindo nas mãos da concorrência... Isso pode (e muito) acontecer caso haja na empresa um colaborador do perfil de Lorde Varys, um manipulador astuto, que comanda uma rede de informantes por todo o Continente.

Para ele, importa seu bem-estar e segurança, mesmo que para isso seja necessário trair quem nele confiou, ou até mesmo sujar a reputação de uma família, já que tem poder (e informações) para isso. É melhor tomar cuidado, pois para vazar dados de uma empresa hoje em dia, é bem rápido e fácil do que se fosse preciso contar com corvos.

 


Rudiney Freitas