Por que Jack Ryan é o mais fiel (e também o mais ignorado) espião da ficção Nem Bond, nem Bourne. Saiba por que o agente secreto criado pelo escritor Tom Clancy e dono da própria franquia merece admiração gplus
   

Por que Jack Ryan é o mais fiel (e também o mais ignorado) espião da ficção

Nem Bond, nem Bourne. Saiba por que o agente secreto criado pelo escritor Tom Clancy e dono da própria franquia merece admiração

Confira Também

A menos que você esteja hoje em seus 50, 60 anos e tenha acompanhado de perto as principais estreias do cinema nos anos 90 ou tenha lido best-sellers de espionagem, é capaz que você nunca tenha ouvido falar em Jack Ryan. E não é para menos: o analista da CIA criado pelo escritor Tom Clancy jamais alcançou a fama de James Bond ou de seu conterrâneo Jason Bourne - mas deveria.

Em resumo: Jack Ryan é um ex-militar da marinha que é forçado a se aposentar após um acidente. Após interromper uma tentativa de assassinato a um membro da Família Real britânica, Jack passa a trabalhar na CIA, onde se destaca durante a Guerra Fria e torna-se, posteriormente, diretor da agência. Sua jornada termina na Casa Branca, quando é eleito (acredite) Presidente dos Estados Unidos.

LEIA TAMBÉM

Ao todo, o personagem aparece em nove romances (fora os spin-offs), escritos entre 1984 e 2000. São eles: "Jogos Patrióticos", "Coelho Vermelho", "A Caçada ao Outubro Vermelho","O Cardeal do Kremlin","Perigo Real e Imediato", "A Soma de Todos os Medos", "Dívida de Honra","Ordens do Executivo" e "O Urso e o Dragão".

Dessa série, quatro livros foram adaptados para o cinema: "A Caçada ao Outubro Vermelho", com Alec Baldwin; "Jogos Patrióticos" e "Perigo Real e Imediato", com Harrison Ford; e "A Soma de Todos os Medos", com Ben Affleck. 

Além destes, o original "Operação Sombra - Jack Ryan", com Chris Pine (Star Trek), foi responsável por nos apresentar um agente mais moderno e proativo, que  precisa atuar em um mundo onde pessoas como Edward Snowden e Julian Assange são considerados tão ameaçadores quanto terroristas. 

E, em agosto de 2018, estreará com exclusividade na Amazon Prime Video a série "Tom Clancy´s Jack Ryan", com o ator John Krasinski (The Office) assumindo o personagem-título.


Porém, apesar de ter cinco filmes no currículo e uma série a caminho, por que Jack Ryan é tão desconhecido para a maioria? A resposta é simples: ao contrário dos filmes de James Bond ou de Jason Bourne, as histórias de Jack Ryan não são focadas no personagem em si, mas em tramas políticas bem boladas e inteligentes - Tom Clancy sempre descreveu com riqueza de detalhes operações militares, estratégias políticas e afins -, onde Ryan, apesar de ser o personagem central, era apenas jogado no meio da ação quase que por acaso.

Além disso, em todos as adaptações das série literária, o personagem Jack Ryan era quase sempre ofuscado pelo ator que o interpretava: Alec Baldwin, Harrison Ford, Ben Affleck, Chris Pine - todos no auge de suas carreiras à época. Ao contrário do que acontece com Bond, por exemplo, cujos atores que o interpretaram eram quase sempre desconhecidos antes de estrelarem os filmes.

Mas, afinal, o que faz de Jack Ryan um dos melhores (senão o melhor) espião da ficção já criado, superando até mesmo os já citados e cultuados Bond e Bourne? Com certeza não são os carrões, as belas mulheres a tiracolo, os gadgets com tecnologia de ponta ou os vilões megalomaníacos, pode apostar. 

Não, leitor, o que faz de Jack Ryan digno de nosso respeito e admiração é que ele, assim como eu ou você, é apenas um cara comum tentando fazer seu trabalho, sem golpes de caratê, dispositivos escondidos ou preocupado com a próxima mulher que irá levar para a cama. Não há glamour algum em sua história.

Ele é o mais próximo que temos de um agente secreto real, com todas as suas falhas, medos, inseguranças, dúvidas, dificuldades no casamento, na paternidade e que não conta com habilidades sobre-humanas em suas missões, apenas sua inteligência e instintos de sobrevivência.

Em outras palavras, o personagem nem é assim tão interessante do ponto de vista dos grandes blockbusters, mas representa um herói mais "real" do que qualquer outro que já tenhamos visto nas telonas e nas telinhas, um em que podemos nos inspirar e cujos feitos até podemos alcançar. 

Acredito que todos temos um pouco de Jack Ryan dentro de nós.


Luis Carvalho