10 mitos e verdades sobre a vasectomia Especialista esclarece dúvidas sobre a cirurgia que funciona como método contraceptivo masculino gplus
   

10 mitos e verdades sobre a vasectomia

Especialista esclarece dúvidas sobre a cirurgia que funciona como método contraceptivo masculino

Confira Também

Muitos homens, que não querem mais ter filhos, possuem dúvidas quando o assunto é vasectomia. E não é por menos: a cirurgia de esterilização masculina, na qual é interrompida a circulação dos espermatozóides entre os testículos e o canal da uretra, é cercada de tabus, desinformação e medo, como o receio da impotência sexual ou ejaculação precoce. 

Para superar esses temores, e desmitificar algumas dúvidas referentes à vasectomia, confira agora uma lista de mitos e verdades elaborada pelo Dr. Eduardo Yoshinaga, urologista do Hospital Sepaco, sobre a cirurgia que funciona como método contraceptivo masculino. 

#1 – É uma cirurgia complicada: mito. Segundo Yoshinaga, a vasectomia é um procedimento cirúrgico urológico relativamente simples, realizado muitas vezes com anestesia local, sem necessidade de internação hospitalar. “Através de uma pequena incisão se realiza a secção e ligadura do ducto deferente, canal por onde passam os espermatozóides”, explica.

#2 – Ela é reversível: verdade. É um procedimento reversível, porém é necessário que o homem tenha realmente certeza da sua realização, uma vez que a reversão não promove sucesso em 100% dos casos. Daí a importância da consulta e diálogo com urologista e psicólogo antes da realização do procedimento. 

#3 – Há contra indicação: verdade. Pacientes que com alguns distúrbios psicológicos ou neurológicos e menores de idade não podem realizar a cirurgia. 

#4 – A vasectomia interfere na ejaculação e na potência sexual: mito. “A vasectomia não interfere na libido, ereção, ou qualquer outra função sexual. A maior parte do volume ejaculado é proveniente da próstata, sendo assim, após a vasectomia a variação do volume ejaculado é mínima, imperceptível ao olho humano”, explica o urologista. 

#5 – Existe alguma ligação entre a cirurgia e o câncer de próstata: mito. De acordo com Yoshinaga, não existem provas que liguem a vasectomia a qualquer tipo de câncer, inclusive o câncer de próstata.

#7 – Os espermatozóides continuam sendo produzidos: verdade. Eles continuam sendo produzidos normalmente e seguem o curso do canal até alcançar o bloqueio imposto pela cirurgia. Quando não passam pela “barreira”, eles acabam morrendo e sendo absorvidos pelo corpo.

#8 – É uma cirurgia dolorosa: mito. “A cirurgia em si acontece praticamente sem dor alguma. Isso devido o emprego de anestesia local ou outro tipo de anestesia”, afirma o médico. Porém, ainda segundo ele, a dor ocorre no pós-operatório, mas é facilmente controlada com medidas clínicas empregadas pelos urologistas.

#9 – É possível engravidar após a vasectomia: verdade. Durante algumas semanas após o procedimento ainda existem espermatozóides no líquido seminal, pois eles ficam ao longo do ducto deferente. É necessário que se aguarde um período para que esses espermatozóides sejam removidos do ducto deferente, sendo que isso ocorrerá ao longo das ejaculações que o homem deve apresentar após o procedimento de vasectomia. “Desse modo, após algumas semanas realizamos um teste chamado espermograma para checar a presença ou não de espermatozóides no volume ejaculado”, explica o Dr. Yoshinaga. Portanto, até a liberação do médico, ainda será preciso usar preservativo e anticoncepcional por um tempinho após a cirurgia.

#10 – Vasectomia é como a castração: mito. A retirada dos testículos é um procedimento utilizado em alguns casos de câncer de próstata e não possui nenhuma relação com a vasectomia.