Watergate, a melhor balada da Europa Saiba como é uma noite na casa noturna alemã que atrai frequentadores de todas as partes do planeta gplus
   

Watergate, a melhor balada da Europa

Saiba como é uma noite na casa noturna alemã que atrai frequentadores de todas as partes do planeta

Confira Também

Dançar sobre água. Essa é a primeira sensação que os sortudos que conseguem entrar na badalada casa noturna alemã Watergate, localizada em Berlim, têm, já que seu prédio, com duas torres medievais e paredes de vidro, fica em cima do Rio Spreed. Essa espécie de “Meca” do tecno conta sempre com os melhores Djs do mundo em seu line-up, como Adam Freeland e Erick Morillo, entre outros.

O acesso à casa se dá através de um píer, onde forma-se um aglomerado de jovens, todos com seus cigarros acesos e trajes descolados e despojados. A agitação na entrada do local, graças à fila quilométrica, contrasta bastante com o movimento tranquilo das águas do Spreed. Já no deck, a paquera rola solta. Pessoas de todas as partes do globo se comunicam com aquele inglês aditivado com o sotaque de seu país. Alguns mostram-se bastante entusiasmados só pelo fato de ter conseguido entrar.  

O lugar tem ares de sofisticação, mas ninguém age como convidado em início de recepção de casamento chic. A galera gasta a sola do sapato dançando e curtindo por horas e horas, já que essa balada avança pela manhã e, às vezes, a tarde. Mas vamos falar primeiro da entrada. A segurança é bastante rigorosa. E não se trata apenas da revista inicial, já que a atenção dos brucutus se estende à pista de dança. Se os caras sentem que você está perturbando uma gatinha, as chances de rodar da casa são enormes.

A Watergate tem dois ambientes. O primeiro fica ao nível do rio e é mais indicado para quem tem surtos claustrofóbicos em boates. No espaço, você vai encontrar um bar mais do que abastecido, sofás de couro para tornar o xaveco aconchegante, uma pista de dança, além, é claro, de um acesso ao píer, para dar umas tragadas e arejar a cuca enquanto admira as luzes da capital alemã.  



Já no andar superior, a coisa ferve. O espaço é escuro, um tanto misterioso e uma fileira de luzes de LED corta o teto da pista de ponta a ponta, causando um belo efeito sobre os corpos de quem se acaba na dança. Em muitos momentos, quando você estiver no meio da galera, terá a sensação de que é a melhor noite da sua vida. A atmosfera do local tem uma energia impossível de ser explicada em palavras. É preciso pegar um avião até Berlim e conferir com seus próprios olhos e pernas.

Mas não é tão fácil assim entrar. Há uma espécie de processo de seleção na porta, assim como acontecia no mítico Studio 54, de Nova York, na década de 1970. Claro que o tapete vermelho para Vips e convidados é estendido facilmente. Para ter acesso ao clube, é preciso ter o perfil da casa, gente que gosta de música e de dançar. Se você chegar vestido como o turista azarador, certamente será barrado. 

Localizado na zona boêmia de Kreuzberg, onde estão outras casas noturnas de nome, como o Lido, Magnet e a Baddeshift, entre outras, o Watergate começou tocando drum and bass e tecno, mas os donos perceberam que os frequentadores tinham mais o perfil do segundo gênero musical, o que fez com que não houvesse mais noites voltadas para o primeiro estilo. O que não diminui nem um pouco o número de baladeiros. Pelo contrário.  

Para saber sobre preços e mais informações, basta acessar o site oficial: http://www.water-gate.de/