Beber cerveja todo dia faz mal? Você é um alcoólatra porque toma um chopinho diariamente? Especialista revela quando é hora de frear o consumo gplus
   

Beber cerveja todo dia faz mal?

Você é um alcoólatra porque toma um chopinho diariamente? Especialista revela quando é hora de frear o consumo

Confira Também

Na mesa do bar você vai me dizer que “tem gente que não bebe e tá morrendo”. Mas a verdade, é que, assim como no recente caso do estudante da Unesp, o álcool pode matar sim – se consumido em grandes quantidades. Mas e se bebermos com a moderação nossa de cada dia? Afinal, beber diariamente pode destruir a sua saúde?

Dr. Walter Thomas, médico fundador da American Society of Addiction Medicine, na Califórnia, com mais de 30 anos de experiência em viciados em álcool e drogas, revela em entrevista ao AreaH quais são as cinco coisas que a gente não costuma pensar desde o primeiro copo.

1. O limite
O Federal Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos e a maioria dos especialistas recomendam que as mulheres não tomem mais de 7 drinques por semana, e os homens não mais do que 14 no mesmo período. Dr. Thomas explica que nós homens não deveríamos virar mais de 5 drinques por rolê, enquanto 2 seria o suficiente para uma dama. “Isso é considerado beber com moderação e segurança.”

2. Cerveja não é destilado
Uma taça de vinho e uma cerveja têm quantidades equivalentes de álcool (em torno de 30 ml). Com base neste volume, você tende a ingerir mais álcool quando bebe destilados – e, consequentemente, isso será mais nocivo para o seu corpo.

3. De vez em quando não é sempre
A diferença entre beber socialmente e a dependência é que o vício se caracteriza justamente pela perda do controle do consumo. Você continua bebendo apesar das adversidades e consequências ruins que aparecem no caminho. “O uso é compulsivo e o pensamento se torna obcecado pela bebida”, avalia Dr. Thomas.

4. Nem todos os males estão na sua cabeça
O álcool faz mal para todos os tecidos do corpo, “e temos um teste de sangue que mede os danos causados ao fígado e à medula óssea pela ingestão rotineira de bebida alcoólica”, garante o médico.

5. Começar é agora
Se você está esperando a melhor oportunidade para dar o pontapé inicial, vale lembrar que o tratamento começa não somente com a avaliação do consumo, mas quando você “aceita o diagnóstico quando ele é feito”. Segundo Dr. Thomas, a recuperação envolve abstinência por toda a vida e o desafio de encarar uma jornada que tem começo, mas não fim – a jornada é o destino. “Entrar num programa de 12 passos dos Alcoólicos Anônimos ajuda a manter a abstinência e o compromisso com o processo de recuperação”, recomenda.