12 Melhores filmes de faroeste que todo homem deveria ver Homem algum resiste a um bom filme de bang-bang. Por isso, selecionamos os 12 melhores filmes de faroeste que você não pode perder gplus
   

12 Melhores filmes de faroeste que todo homem deveria ver

Homem algum resiste a um bom filme de bang-bang. Por isso, selecionamos os 12 melhores filmes de faroeste que você não pode perder

Confira Também

Quando o assunto é filmes de faroeste, o que vem a sua mente? Talvez o personagem durão que consagrou Clint Eastwood, embalado pela música inesquecível de Ennio Morricone? Ou quem sabe talvez o ator que ajudou a popularizar o gênero, John Wayne

Dependendo da sua idade, é possível que Charles Bronson e Steve McQueen, ambos de chapéu, pistolas em punho e montados a cavalo tenham sido seus ídolos de infância. O fato é que filmes de faroeste, ou bang-bang, mexem com o imaginário masculino há gerações - e prometem cativar muitas outras à frente.

LEIA TAMBÉM

Talvez o motivo de tanta admiração pelo gênero seja por causa da aventura que eles contém: desbravar terras desconhecidas, enfrentar tiranos que exploram os mais fracos e, ao final do dia, ganhar um beijo de uma bela mulher. 

As excelentes atuações, os cenários de tirar o fôlego e os roteiros belíssimos também podem ter contribuído para o sucesso do faroeste mundo afora. Assim como os personagens másculos rápidos no gatilho, verdadeiros ícones de justiça e bravura para os homens.

Por isso, selecionamos os 12 melhores filmes de faroeste de todos os tempos que todo homem deveria ver. Confira:

#1 SETE HOMENS E UM DESTINO (1960)

Nesse clássico imperdível do cinema de faroeste, os habitantes de um pequeno vilarejo mexicano, cansados dos ataques constantes de um grupo de pistoleiros, buscam ajuda de dois pistoleiros desempregados, Chris (Yul Brynner) e Vin (Steve McQueen, sobre quem já falamos aqui). Estes, movidos pela aventura, reúnem mais cinco foras-da-lei para combater Calvera (Eli Wallach) e seus homens. Inspirado no japonês Os Sete Samurais (1954), Sete Homens e um Destino ganhou ainda as sequências A Volta dos Sete Magníficos (1966), A Revolta dos Sete Homens (1969) e A Fúria dos Sete Homens (1972).

#2 O HOMEM QUE MATOU O FACÍNORA (1962)

Com um elenco espetacular, do qual fazem parte os excelentes James Stewart, John Wayne e Lee Marvin, este faroeste conta a história de Ransom Stoddard (James Stewart), senador que vai para o funeral de Tom Doniphon (John Wayne), vaqueiro do qual era muito amigo. Ao ser entrevistado por um repórter, Ransom começa a contar que sua fama começou quando ainda era um advogado recém-formado e Liberty Valance (Lee Marvin) matou um perigoso bandoleiro. Um dos melhores filmes dirigidos por John Ford - e seu último em preto e branco -, O Homem que Matou o Facínora é simplesmente imperdível.

#3 OS BRUTOS TAMBÉM AMAM (1953)

Os Brutos Também Amam conta a história de Shane (Alan Ladd), um misterioso pistoleiro recém-chegado a uma região de assentamentos que espera mudar de vida. Para tal, ele aceita trabalhar em uma pequena fazenda, onde se torna um ídolo para o pequeno Joey, filho de seu patrão. Os colonos lutam por seus direitos contra os grandes criadores de gado, que controlam a maior parte da terra, e Shane logo se envolve no conflito. Bastante cultuado desde seu lançamento, Os Brutos Também Amam ganhou diversas referências na cultura pop, mais recentemente no filme Logan, o último de Hugh Jackman como o mutante Wolverine.

#4 ERA UMA VEZ NO OESTE (1968)

Neste exemplo clássico de Western Spaghetti (faroestes italianos, também chamados de "Bang-bang à italiana") do melhor tipo dirigido pelo grande Sergio Leone, Charles Bronson é "Harmônica", um pistoleiro de nome desconhecido que tem o hábito de tocar uma gaita antes de matar seus rivais. Ele precisa proteger a ex-prostituta Jill (Claudia Cardinale), dona de terras localizadas na futura rota da estrada de ferro, do assassino de aluguel Frank (Henry Fonda), contratado para intimidá-la. Com uma bela trilha sonora, composta pelo genial Ennio Morricone, Era Uma Vez no Oeste é um filme obrigatório para todos os fãs do gênero.

#5 MEU ÓDIO SERÁ SUA HERANÇA (1969)

Neste filme que tem como tema o fim do Velho Oeste e da era do cowboy, um grupo de foras-da-lei veteranos passa a considerar seriamente a aposentadoria. Os tempos mudaram, o lucro está cada vez menor e o risco cada vez maior. No entanto, Pike Bishop (William Holden) resolve armar um último golpe para que sua quadrilha possa se aposentar em alto estilo: dez mil dólares em ouro para roubar o carregamento de armas de um trem. Uma verdadeira obra-prima do gênero e do cinema em geral, Meu Ódio Será Sua Herança é um filme bastante controverso devido sua violência, mas que merece estar na lista de qualquer um que admira o Cinema.

#6 POR UM PUNHADO DE DÓLARES (1964)

Aqui temos um dos maiores astros dos filmes de faroeste, Clint Eastwood, no papel que lhe renderia sua popularidade: o Pistoleiro Sem Nome. Na trama, o pistoleiro interpretador por Eastwood chega à San Miguel, uma cidade no México que faz fronteira com os Estados Unidos. O lugar está em guerra, dividido entre duas facções poderosas, os Baxters e os Rojos, e ambas querem o apoio do pistoleiro. Para ganhar dinheiro, ele aceita as duas propostas e passa a trabalhar para as gangues rivais. Por um Punhador de Dólares é inspirado no filme japonês Yojimbo, o Guarda-Costas, que traz um ronin em situação semelhante à do pistoleiro.

#7 POR UNS DÓLARES A MAIS (1965)

Sequência direta de Por Um Punhado de Dólares, o filme é a segunda parte da chamada Trilogia dos Dólares do diretor Sergio Leone. Clint Eastwood retorna como o personagem o Pistoleiro Sem Nome, dessa vez como um caçador de recompensas que perambula pelas cidades do velho oeste americano em busca de um novo alvo. Ele o encontra quando vê o cartaz de procurado de Indio, um perigoso bandido que também está sendo procurado pelo coronel Douglas Mortimer, outro caçador de recompensas. Os dois partem no encalço de Indio mas, sem conseguir capturar o bandido nem eliminar o rival, eles precisam decidir entre unir forças ou serem eliminados pela gangue de Indio.

#8 TRÊS HOMENS EM CONFLITO (1966)

A conclusão da Trilogia dos Dólares é, não à toa, um dos filmes de faroeste mais revenciados do gênero. A trama se passa em plena Guerra Civil dos Estados Unidos, quando três homens fazem de tudo para colocar as mãos em 200 mil dólares roubados que foram escondidos no túmulo de um cemitério. Clint Eastwood, o Homem Sem Nome, retorna sob o apelido de Blondie. Junto de Tuco (Eli Wallach), Blondie busca a fortuna enterrada, mas são perseguidos por Angel Eyes (Lee Van Cleef), que pretende roubá-los assim que descobrirem onde o dinheiro está. A trilha sonora facilmente reconhecível e a cena final do longa fecham a trilogia com chave de ouro.

#9 OS IMPERDOÁVEIS (1992)

Mesmo décadas após a Era de Ouro do faroeste, Clint Eastwood, desta vez na cadeira do diretor, foi capaz de nos entregar mais uma pérola do gênero em Os Imperdoáveis. A trama fala sobre Bill Munny (Eastwood), um pistoleiro aposentado que volta à ativa quando lhe oferecem 1000 dólares para matar os homens que cortaram o rosto de uma prostituta. O elenco conta ainda com os excelentes Gene Hackman, Morgan Freeman e Richard Harris. Vale notar que Eastwood faz várias referências ao seu antigo e lendário personagem, o Pistoleiro Sem Nome, eternizado por Sergio Leone nos filmes da Trilogia dos Dólares.

#10 RASTROS DE ÓDIO (1956)

Mais um clássico gravado sob as lentes de John Ford, Rastros de Ódio inspira-se na história real da jovem Cynthia Ann Parker, mãe do líder comanche Quanah Parker que em 1836 foi raptada por guerreiros Comanches. John Wayne é o veterano da Guerra Civil Ethan Edwards, que chega ao Texas para encontrar o seu irmão e a família dele. No dia seguinte, o rancho é invadido, o casal é assassinado e suas duas filhas são raptadas por comanches. Ethan parte em busca das meninas junto com o companheiro Martin (Jeffrey Hunter), um mestiço que logo percebe que Ethan está obcecado por matar os índios.

#11 DJANGO LIVRE (2012)

O faroeste mais recente desta lista, Django Livre é considerado um dos melhores filmes de Quentin Tarantino. Poucos devem saber, no entanto, que o filme inspira-se no personagem interpretado pelo italiano Franco Nero em 1966. Nessa nova versão, Django (Jamie Foxx) é um escravo liberto pelo caçador de recompensas alemão Dr. King Schultz (Christoph Waltz), que precisa de sua ajuda para capturar três irmãos fugitivos. Quando a missão é concluída, Schultz promete ajudar Django a encontrar e libertar sua esposa, Broomhilda (Kerry Washington). Porém, isso irá levá-los ao encontro Calvin Candie (Leonardo DiCaprio), um perigoso dono de escravos. 

#12 BRAVURA INDÔMITA (1969)

Uma garota, Mattie Ross (Kim Darby), contrata por 100 dólares um xerife caolho e beberrão, "Rooster" Cogburn (John Wayne), para que capture o assassino de seu pai. Ela exige ir junto na jornada, para ter certeza que a meta foi cumprida. Na perseguição eles acabam entrando em território índio, na intenção de alcançar o criminoso. A atuação de John Wayne, que interpreta um personagem bêbado e caolho, bem distante dos papéis pelos quais ficou famoso, rendeu ao ator um Oscar de Melhor Ator, o único de sua carreira. Bravura Indômita ganhou uma refilmagem em 2010, estrelado por Hailee Steinfeld como Mattie Ross e Jeff Bridges como "Rooster" Cogburn.


Luis Carvalho