Como manter uma alimentação saudável no inverno Saiba como manter uma alimentação saudável na estação mais fria do ano gplus
   

Como manter uma alimentação saudável no inverno

Saiba como manter uma alimentação saudável na estação mais fria do ano

Confira Também

Para alguns o inverno é sinônimo de doenças, preguiça, mal-estar e, claro, muita comilança. Mas, independente da sensação que sentimos, um fato é que com a chegada do frio – que já deu as caras antes mesmo do início oficial do inverno –, o corpo humano passa por diversas adaptações para se adequar à exposição a uma temperatura muito abaixo daquela em que precisa se manter (por volta dos 36°C).

É neste período que muitos se esquecem de redobrar a atenção com a alimentação, pois é justamente no frio que o corpo sente mais necessidade de “estocar comida” por mais tempo, o que gera naturalmente uma compulsão alimentar desenfreada nesse período do ano. Outro motivo para ficar de olho na alimentação, e, consequentemente, na dieta, deve-se a tendência das pessoas em diminuir a frequência dos exercícios físicos (aquela preguicinha de sair para treinar, sabe?).

Alguns dos erros mais comuns, que costumam acontecer nesta época, é a ingestão exageradas de carboidratos, tais como massas, fundis e sopas que contém batatas, macarrão, arroz, por exemplo, que prejudicam toda a dieta e as metas alcançadas no “projeto verão”. 

Como durante os dias frios o organismo precisa de mais energia para manter a temperatura corporal ideal, é essencial ingerir alimentos que tragam mais nutrientes e calor para o corpo, mas que não sejam ricos em calorias, como a pimenta vermelha, gengibre e canela, que além de acelerarem o metabolismo, ajudam na imunidade e manutenção do peso. Frutas e legumes também são mais do que recomendados para não cair na tentação e acabar de vez com a dieta.

Para se alimentar bem nos dias frios, mas sem errar na quantidade e na qualidade do que é ingerido, é importante seguir algumas dicas que ajudarão na hora de montar os pratos. Se uma lasanha for preparada, por exemplo, pode-se optar por uma massa de berinjela ou de palmito. O mesmo pode ser feito com outros pratos, a fim de deixá-los mais leves e menos calóricos. 

Atualmente esses “ingredientes substitutos” podem ser facilmente encontrados em lojas especializadas ou supermercados, mas caso você queira utilizar produtos tradicionais também é possível, basta ler atentamente o rótulo para descobrirá qual é a marca mais nutritiva – isto é, a que possui menos sódio, açúcar, carboidratos e calorias por porção. 

Outra dica é aproveitar que o organismo gasta mais energia para manter a temperatura corpórea e aumentar a ingestão de lanches durante seu dia. Nas tardes de inverno, por exemplo, não fique longos períodos sem comer e diminua o intervalo entre as refeições, fazendo lanches à base de queijos leves e pães integrais ou uma porção de frutas secas com castanhas. 

Como no inverno o consumo de saladas e frutas também diminui, experimente preparar verduras refogadas em pouco óleo e os legumes cozidos ou grelhados.  E para sobremesa, frutas cozidas ou passadas na canela satisfazem a vontade de doces e não comprometem a dieta.

A última dica é beber muita água. Uma vez que nossa transpiração diminui no inverno sentimos mais necessidade de ir ao banheiro, pois estamos numa estação extremamente seca. Por isso, tente tomar dois litros de água por dia, podendo também ser substituída por sucos naturais e chás, ou por frutas como pera, ameixa, maçã e melancia.