As lutas mais inusitadas do mundo Se você já acha que lutar MMA é coisa de louco, espere só até ler este post e conhecer as lutas mais inusitadas do planeta gplus
   

As lutas mais inusitadas do mundo

Se você já acha que lutar MMA é coisa de louco, espere só até ler este post e conhecer as lutas mais inusitadas do planeta

Confira Também

Há milênios os humanos inventam e reinventam técnicas de combate para a autodefesa. Logo nas primeiras grandes civilizações, descobrimos que a luta tem um grande potencial para entreter as massas. Então, resolvemos torná-la um espetáculo. O Coliseu foi a mais famosa arena desses shows. Em frente de milhares de pessoas, gladiadores se enfrentavam brutalmente até a morte.

Muita coisa mudou até os dias atuais. O Coliseu se deteriorou e foram proibidas as lutas até a morte. Contudo, algo persiste: o atração do público pela violência. Nessa de reunir multidões para assistirem às lutas (e lucrar), surgiram muitas modalidades. Confira algumas das mais inusitadas do mundo.

Golpe baixo

O yagli güres é considerado o esporte mais antigo do mundo ainda em atividade. Seu mais famoso torneio é o Kirkpina, que ocorreu pela primeira vez em 1361 em Edirne, cidade do noroeste turco. Desde então o Kirkpina é realizado anualmente, sempre no mesmo lugar.

O estilo dessa luta lembra bastante wrestling. Para dificultar os golpes do oponente e diminuir o atrito da pele com o solo gramado, os pehlivans – lutadores de yagli güres – passam azeite em todo o corpo (sim, até nas partes íntimas), motivo pelo qual o yagli güres é conhecido como luta de azeite.

Diferente de muitas lutas de outros países asiáticos, o yagli güres dispensa o uso de quimonos e faixas. Em vez disso, os pahlivans lutam com o Kisbet, uma epécie de shorts de couro. Para aplicar algum golpe, é admitido pegar em praticamente qualquer parte do corpo adversário, tanto que é bem comum os lutadores colocarem as mãos por dentro dos kisbet de seus oponentes. Apenas é proibido apertar as bolas e “dedar”. As lutas, que podem durar até 30 ou 40 minutos, é realizada em um campo gramado, onde, geralmente, ocorrem outras lutas simultaneamente. Ganha quem colocar o adversário de cabeça para baixo com pernas para cima.

Uma luta. Com molho, por favor
Se os turcos usam o azeite para deixar a pele dos lutadores mais escorregadia, os ingleses preferem molho de carne, que eles chamam de "gravy". O World Gravy Wrestling Championships (WGWC) acontece anualmente em Lancashire, cidade próxima a Londres e a Manchester. Nesse campeonato, as lutas duram dois minutos. Durante esse tempo, os competidores lutam wrestling sobre uma "piscina" de molho gravy. Mas, a loucura não para aí. Para a luta, alguns participantes não usam quimono ou shortão estilo boxe, e sim fantasias. Seus próprios organizadores reconhecem a bizarrice do evento e referem-se a ele como “Hospício de Lancs”.

Porrada e raciocínio lógico
Para ser campeão de boxe-xadrez, é preciso saber lutar e ter um ótimo raciocínio. O nome do esporte já e alto-explicativo, o competidor tem que lutar boxe e jogar xadrez. No total, a partida de xadrez dura até 18 minutos e a de boxe até 15 minutos. A cada 3 minutos troca-se de modalidade. Vence quem nocautear o adversário ou dar um xeque-mate.

Queda de braço mais violenta do mundo
O Xarm (Extreme Arm Wrestling) é um esporte que mistura elementos do kickboxing com queda de braço. Antes do início da luta, os competidores são acorrentados a uma mesa e ficam de mãos dadas, em posição de queda de braço. Após a autorização do árbitro, a luta se inicia e os lutadores, sempre segurando uma das mãos de seu adversário, dão socos, chutes, cotoveladas e até estrangulamentos. Dificultar a autoproteção é o principal motivo de os lutares ficarem a luta inteira de mãos dadas. Vence quem nocautear primeiro.

Bando contra bando
Qualquer desavisado pode pensar que se trata de uma briga de rua. Porém, é "só" TFC (Team Fighting Championship, Campeonato de Time de Luta, em português). Criado na Rússia, essa competição tem regras semelhantes ao MMA, mas com uma diferença: dez pessoas se encontram para uma luta de cinco contra cinco. No ringue, lutadores magros podem enfrentar os mais pesados, desde que o peso do time (ou seja, dos 5 participantes) não exceda 550 quilos. Se algum lutador for nocauteado, finalizado ou desistir, ele é retirado do ringue e a luta continua normalmente.  

De volta à Idade Média
Se você é fissurado por filmes de Idade Média, já passou da hora de assistir a uma luta de combate medieval. Nessa batalha, os lutadores, ou melhor, cavaleiros se vestem com armaduras medievais e usam espadas e escudos para atacarem e se protegerem de seus adversários. Apesar do uso de espadas, os cavaleiros também dão socos e pontapés, além de usarem seus escudos mais para atacarem do que para se protegerem. Perde aquele que for nocauteado ou sair do campo de batalha (o que não é tão fácil, visto que o campo possui cercas em seu entorno). As batalhas podem ser realizadas em modalidades individuais ou coletiva, com até 16 cavaleiros de cada um dos dois lados.

Briga de travesseiro
Está enganado quem disse que aquela briga de travesseiro com seu irmão um dia não iria ter sua liga própria. Além de muitas travesseiradas, essa competição também permite socos, chutes e imobilizações, desde que o travesseiro seja usado para executar o ataque. A luta tem duração de cinco minutos. Atualmente as lutas de travesseiros são organizadas pela PFL (Pillow Fight League ou Liga de Lutas de Travisseiros), que tem sede nos Estados Unidos. Segundo as regras, esse esporte é restrito às mulheres.