gplus
   

Mega-Sena acumulada: chance de ganhar e histórias inusitadas

24/07/2017 00:00

Confira Também

A Mega-Sena sempre acumula várias vezes, todos os anos. De concurso em concurso, o prêmio principal vai aumentando e mexendo com as expectativas de quem acredita nos caprichos da sorte.

Atualmente, ninguém acerta as seis dezenas da Mega-Sena há dez concursos. Como resultado, o próximo sorteio da loteria, que acontecerá na quarta-feira (26), tem o prêmio principal estimado em R$ 90 milhões. Com essa dinheirama aplicada na poupança, por exemplo, é possível viver com uma renda mensal de aproximadamente de R$ 4,59 milhões por mês.

Se valores da bolada são altos e fazem sonhar, as probabilidades de acertar os seis números explicam por que muita gente diz que “vai fazer uma fezinha” na hora de jogar: segundo a Caixa Econômica Federal, as chances de ganhar a Mega apenas com aposta mínima é de uma em mais de 50 milhões.

Quem quiser apostar no próximo concurso pode jogar até as 19h de quarta-feira (26), em qualquer lotérica do país. O preço da aposta mais barata, que dá direito a marcar seis números no bilhete, é de R$ 3,50.

Enquanto o dia não sorteio não chega, além de sonhar com uma vida de milionário, aproveite para conhecer algumas histórias inusitadas com gente que foi premiada pela loteria:

O vendedor de bilhetes que gastou sua fortuna em meses


Em 1983,  macapaense Jesus Silva da Fonseca vendia bilhetes da loteria como ganha-pão. Um dia, sobrou uma aposta e ele resolveu conferir o resultado: o papelzinho estava premiado, com um valor de cerca de R$ 2 milhões em valores atuais.

Apesar do conselho de um gerente de banco, Jesus não aplicou nada e resolveu cair na gandaia. Se o prêmio veio de maneira inesperada, o resultado da folia foi mais previsível e a fortuna se acabou em poucos meses.

Hoje com 69 anos, Silva continua vendendo bilhetes de loteria. Ainda sobram algumas apostas de vez em quando, mas a sorte grande nunca mais apareceu para o ex-milionário.

A esposa assassina

Ganhador de R$ 52 milhões na Mega-Sena em 2005, o ex-lavrador Renné Senna foi morto em janeiro de 2007 por dois ex-seguranças. Os assassinos do milionário, que não tinha as duas pernas, agiram a mando de Adriana Ferreira Almeida, que era casada com a vítima.

A motivação seria a herança de Renné que, após suspeitar que Adriana tinha um caso extraconjugal, a expulsou de casa e ameaçou tirá-la de seu testamento. Ela foi condenada a 20 anos de prisão pelo crime.

Atualmente bloqueada pela Justiça, a fortuna de Renné é estimada em R$ 100 milhões.

O bom samaritano

Em 2015, durante a campanha para ajudar Matheus Teodoro Oliveira, um garoto vítima de uma doença rara que precisava receber um transplante de intestino, uma doação chegou de forma inusitada.

Sem se identificar, um homem que havia ganhado a quadra na Mega-Sena doou seu bilhete premiado com R$ 719.

Embora não tenha sido uma quantia milionária, junto com outras doações o