Confraternização X Vexame A reputação construída por toda a vida profissional pode vir a óbito na festa da firma. Evite constrangimentos! gplus
   

Confraternização X Vexame

A reputação construída por toda a vida profissional pode vir a óbito na festa da firma. Evite constrangimentos!

Confira Também

O fim do ano está aí e além da chegada do Papai Noel e do show de Roberto Carlos, as festas de confraternização fazem parte do espírito do momento. O evento, amado e odiado por muitos, é uma fórmula encontrada pelas empresas de aproximar ou estreitar relações com seus funcionários.

Normalmente realizadas em bares, restaurantes ou no próprio espaço da empresa, na maioria dos casos, a festa reúne profissionais dos mais variados setores da companhia, pessoas que nunca se viram ou conversaram. Portanto é preciso agir com cautela. Cuidados com a bebida , estilo da roupa ou até mesmo saber a hora de abrir a boca são fundamentais para passar uma boa imagem, o que pode render bons frutos no futuro.

Para que tudo ocorra dentro do previsto, é preciso seguir uma cartilha. A fim de evitar constrangimentos, o AreaH conversou com a Janaina Depiné, consultora de etiqueta, para que você, ao mesmo tempo em que aproveita a festa, não passe vexames.

A consultora explica o que não pode ser feito em festas de confraternização. "São quatro cuidados principais. Não consumir álcool, usar uma roupa discreta, evitar coreografias exageradas na pista de dança e não puxar saco," alerta. 

Aprecie com moderação

Nove entre dez festas acabam com algum tipo de problema em função do abuso do álcool. Normalmente neste tipo de evento o consumo da bebida é liberado, já que a conta fica a cargo da companhia. Aí mora o problema, é preciso ter foco e não ir com sede ao pote, isso para evitar uma má fama nos outros 364 dias do ano.

"A bebida é o principal causador dos vexames nas festas. Ela entra e a verdade sai, causado constrangimento geral na maioria das vezes," garante Janaina. A consultora ainda diz quais providências devem ser tomadas em caso de exagero. "Primeiro que não se deve beber em demasia em ocasião alguma, muito menos na festa da empresa. Mas, se o estrago já tiver sido feito, é importante que um amigo ou colega mais próximo se ofereça para levar o funcionário para casa. Se ele se recusar, o chefe deve – pelo bem da imagem do colega – sugerir isso num tom camarada, oferecendo um táxi, por exemplo, e com total discrição."



Contenha o instinto, garanhão

Outra dica para os homens. Neste momento de confraternização e proximidade, é necessário conter o instinto e não dar em cima da primeira que aparecer. Se a garota for filha do chefe, o desastre está feito.  "Não paquere. Festa de empresa continua sendo uma extensão do trabalho e as regras são as mesmas", é o que diz Janaina Depiné.

Meu amigo secreto é...

Nos corredores das empresas é fácil encontrar funcionários reclamando da pessoa que tirou ou até mesmo com medo de presentear o chefe ou alguém com quem nunca trocou mais de duas frases (bom dia e boa noite). Para Janaina, o certo seria não promover um amigo oculto entre um bando de desconhecidos. Ao contrário do que pregam os organizadores, para ela, o amigo secreto não é uma fórmula eficaz para a aproximação entre os funcionários.

"A verdade é que não aproxima muito, mas cria um clima descontraído, certamente. O mais importante para quem organiza é estabelecer uma faixa de preço e pedir que os envolvidos sugiram pelo menos três presentes que gostariam de ganhar, para evitar problemas de um dar um bom presente e receber algo de R$1,99," afirma. 

Outro ponto que exige muita atenção é na hora de apresentar seu amigo secreto. Os grandes deslizes ocorrem geralmente neste tipo de situação. Para evitar constrangimentos, a consultora aconselha: "Seja alegre, mas não humilhe. É comum as pessoas pegarem pesado nessa hora querendo soar engraçadinho. Por exemplo: 'Meu amigo está precisando emagrecer um pouquinho, mas é a alegria da empresa'. Péssimo, não? Aproveite o momento para enaltecer as qualidades, criando um clima de suspense".

Que roupa usar?

De tirar o sono, principalmente das mulheres, a escolha do que vestir nesse tipo de festa precisa ser feita com muito cuidado. Como sempre, bom senso é fundamental nestas situações. "É importante dizer que apesar de ser uma festa, continua sendo trabalho. Então, opte por modelos que sejam um pouco mais despojados do que o usado no dia a dia da empresa, sem ousadias e vulgaridade. Para eventos mais sofisticados os homens podem optar por calça jeans, camisa e blazer. Já as mulheres podem usar vestido (até um palmo acima do joelho) ou uma combinação de calça e blusa."

Hora de dar tchau

Para fechar, um recado de Janaina Depiné para quem não sabe a hora de ir embora. "Uma dica importante: quanto mais alto o cargo, mais cedo deve sair da festa. Portanto, o diretor vai embora antes, seguido uns 15 minutos depois pelo gerente e assim sucessivamente. Outro ponto importante, não exagerar nas danças coreografadas ou sensuais."