A solução para o trânsito caótico

As scooters estão pipocando nas ruas. Pudera, elas são muito econômicas e driblam bem o trânsito das grandes cidades

Você que todos os dias vive preso no trânsito dos grandes centros urbanos e todos os dias enfrenta uma verdadeira procissão para ir e voltar do trabalho ou da faculdade, deve conhecer as scooters, nada mais que as modernas lambretas e vespas das gerações passadas – econômicas no consumo, menos poluentes, muito eficientes justamente para os congestionamentos de grandes cidades e baratas.

Acontece que as scooters não são todas iguais e não se diferenciam apenas pelas diferentes marcas presentes no mercado nacional. Quem explica com propriedade estas diferenças e aponta as vantagens e desvantagens do veículo é Alex de Souza Valdarnini, vice-presidente do Scooter Clube do Brasil.

"A maioria das scooters na faixa de 125/150cc tem pilotagem semelhante apesar do tamanho da roda ser pequeno, eles não chegam a ser um grande problema, mesmo nas ruas mais esburacadas. Já modelos de 250/300cc são mais robustos e conseguem ir além do ambiente urbano, fazer pequenas viagens com bom conforto. Acima disso, as scooters de 400cc tem excepcional conforto, ergonomia, vários opcionais e alcançam velocidades incríveis, mas seu custo ainda é proibitivo para muitos", explica Alex.

Ele também aponta que no Brasil ainda se vendem muitas motos CUB (Category Upper Basic), que são um híbrido entre scooters e motos (e normalmente vêm com transmissão manual), modelos parecido como a Honda Biz e Yamaha Neo. Como a mecânica é praticamente a mesma das motos elas são a opção mais segura para muitos lugares, mas nas principais capitais urbanas a scooter domina.

Vantagens e desvantagens
"Comparada a motos, a grande vantagem da scooter é que ela oferece muito mais conforto e menos estresse por movimento repetitivo de trocas de marchas, tem em muitos modelos compartimento de bagagem ou suporte de bauleto já inclusos, seu motor ter maior durabilidade devido a trabalhar sempre na faixa ideal de rotação, não molha ou sujar os sapatos por água, lama ou pedal do câmbio e seu consumo chega a ser excelente entre 25 a 40 km por litro", aponta Alex.

De fato são vantagens muito atrativas, certo? Principalmente pelo fato de que suas desvantagens são, em sua maioria, comuns a das motos convencionais – como o fato dela tornar seu motorista mais vulnerável a acidentes. "A mão de obra especializada ainda é escassa e restrita a poucos lugares ou concessionárias que ainda cobram preços abusivos nas peças como carenagens, que são caras e as primeiras a quebrar em caso de impacto. Existe o mito de que as carenagens protegem melhor você, o que na prática isso não procede, pois você é arremessado longe da mesma forma que em uma moto no caso de acidente", explica.

Melhores modelos do mercado
"Tanto para quem escolhe a scooter como um veículo adicional, como para quem vai utilizar para o dia a dia, o modelo que atualmente tem se destacado por opinião de vários sócios do clube é a Honda Lead, sua praticidade e confiabilidade é ótima, seu lado contra é ter limitação de velocidade máxima ser de 90km/h. Para os ousados ainda existe a Dafra Citycom 300i ou a Suzuki Burgman 400 (uma legítima maxi-scooter, a única comercializada no Brasil – o resto é importado), muito boas e bem cotadas, como também as italianas Aprilia ou Piaggio, sonhos de consumo e que são impecáveis, mas bem salgadas no preço", aponta.

De fato a Suzuki Burgman foi pioneira e vendeu muito entre 2006 e 2010, mas tinha vários problemas e mesmo com o novo modelo, não conseguiu emplacar no gosto de muitos que elegeram a Honda Lead a melhor do mercado das 125cc. Nunca é demais lembrar que modelos mais potentes (e que têm poucas vendas), mas impressionam como a Burgman 650, um colosso recheado de tecnologia, sem concorrentes no Brasil, mas que ficaria para trás se a BMW 650GT, mostrada no último salão fosse realmente comercializada.

Volta a fita! Maxi-scooter?
"São os modelos de grande porte e potência, acima de 400cc. O único modelo nacional atualmente é a Suzuki Burgman 400, o restante é importado, principalmente da Itália, a Meca das scooters, onde esse veículo é vastamente utilizado e onde se produzem maxi-scooters com vários recursos, como freios ABS, frenagem controlada eletronicamente, tiptronic, controle de tração, grandes bagageiros, apoio de lombar/sissy bar, som, GPS, computador de bordo e todo um design voltado para o conforto, pois elas são muito utilizadas em longas viagens".

Vespa, o Maverick das scooters
As lambretas, ou scooters "old style", ainda são bastante desejadas, assim como carros antigos e não são muito difíceis de serem encontradas à venda, mas Alex aponta alguns pontos a serem revisados antes de realizar o sonho de adquirir esta estilosa e jeitosa motoca.

"Devido a grande dificuldade de peças, mão de obra especializada e de consumirem muito, tanto quanto poluírem o ambiente, acabam sendo a escolha de restauradores, colecionadores e amantes desses modelos que rodam bem pouco, ficando restritos a encontros e alguns passeios eventuais, daí seu valor ser de estima e podem chegar a valores absurdos".

E de tudo isso, nunca se esqueça que as melhores scooters são as que se adaptam a você, a seu estilo de vida, pilotagem e potência, existem muitos modelos atualmente bastante estilosos como vintage até modelos conceitos e agressivos.