Top 10: Melhores episódios de Dr. House

O seriado onde o médico é um herói e o vilão é sempre uma doença misteriosa consagrou Dr. House como o melhor personagem de televisão da década

Grosseiro, antipático e desconfiado. Mesmo com este conjunto de defeitos, Gregory House, o médico detetive, conquistou o título de melhor série de TV da década, tirando o posto de Lost.


No decorrer dos episódios, o médico herói consegue entreter os telespectadores até que os enigmas sobre as doenças de seus pacientes em estado praticamente terminal sejam desvendados.

Selecionamos os dez episódios mais marcantes da série. Acompanhe.


Pilot/Everybody Lies (Piloto - 1º ep. - 1ª temp.)

Não poderíamos deixar de fora o piloto da série, onde somos apresentados a House e seus métodos pouco ortodoxos no atendimento ao paciente. Observamos também o relacionamento de House com os outros membros da sua equipe, Chase, Cameron e Foreman; e do hospital, Wilson e Cuddy. E é nesse episódio que ouvimos pela primeira vez tão repetida frase: “Todo mundo mente”.


Three Stories (21º ep. - 1ª. temp.)

O 21º episódio da primeira temporada é um queridinho incontestável entre os fãs da série e os motivos não são poucos. Além de ser o primeiro a apresentar uma estrutura de narrativa diferente - não vemos o paciente passar mal no começo do episódio, é também nele que descobrimos o que realmente aconteceu com a perna de House, um infarto na perna esquerda que demorou a ser diagnosticado, e conhecemos sua ex-namorada Stacy, que reaparece na vida do médico, pedindo que ele cuide do marido dela.

 

No Reason (24º ep. - 2ª temp.)
House tem que diagnosticar mais um de seus difíceis casos, mas um homem que se identifica como um antigo paciente dá dois tiros no médico, que fica em coma por dias. Quando House acorda, a dor na perna não o incomoda mais e ele até consegue subir escadas sem ajuda da muleta, ao mesmo tempo em que a situação do paciente vai se agravando. House começa então a questionar sua sanidade e quando se convence que está alucinando, decide matar o paciente, assim o choque o fará voltar à realidade. Felizmente para o paciente, House estava certo e tudo estava realmente acontecendo em sua cabeça. Um belo jeito de terminar uma temporada!

Meaning (1º ep. - 3 ª temp.)
O final da segunda temporada foi eletrizante, e a terceira começa no mesmo ritmo. House está de volta à ativa, dessa vez sem bengala, já que o remédio que recebeu depois de ser baleado parece ter curado também as dores na perna. O paciente da vez é um homem paralisado, que House está decidido a curar. Sem prova alguma de que sua teoria a respeito de que o mal que atinge seu paciente é uma síndrome que pode ser curada com uma injeção de cortisol, House tenta convencer Cuddy a aprovar o tratamento, mas ela bate o pé e nega. A chefe do médico vai atrás do paciente e sua esposa, quando eles estão deixando o hospital, e aplica a injeção. A teoria de House está correta, mas Cuddy decide manter em segredo o resultado para não deixar o já convencido médico pensando que pode fazer o que bem entender com seus pacientes. No final descobrimos, que as dores de House estão voltando, ao vê-lo falsificando uma prescrição de remédios para dor.
 
Son of Coma Guy (7º ep. - 3ª temp.)
Nesse episódio House consegue acordar Gabe, que está em coma há 10 anos, para que ele o ajude a salvar a vida de seu filho. Médico e paciente vão a Atlantic City, onde House descobre que o filho de Gabe precisa de um transplante de coração.

Sabendo que voltará ao estado de coma, Gabe oferece seu coração, House concorda e, apesar da desaprovação de Wilson e Cuddy, ajuda seu paciente a se matar. Descobrimos também porque House se tornou médico, graças a Gabe, que só responde às perguntas sobre o histórico médico de sua família se o médico lhe contasse algo sua vida pessoal. Ele revela que, na adolescência, quando morava com a família no Japão, conheceu um homem de uma classe menosprezada na sociedade japonesa, mas que era consultado e respeitados por médicos, por causa de seu conhecimento.

E o detetive Tritter também aparece, persistindo na busca por um pedido de desculpas pela forma como House o tratou no episódio Fools of Love. O personagem de David Morse aparece ao todo em sete episódios (este é o terceiro), e fazendo da vida de House e sua equipe um inferno, consegue levar o médico à clínica de reabilitação para tratar de seu vício do Vicondin.

Half-Wit (15º ep. – 3ª temp.)
No mesmo episódio em que retira metade do cérebro de Dave Matthews, ou melhor, de Patrick, personagem interpretado pelo músico, House também engana sua equipe. Enquanto ajudam o chefe a descobrir o que causa as convulsões no paciente, Cameron, Chase e Foreman investigam o motivo de House manter contato com um hospital em Massachusetts. Primeiro desconfiam que ele esteja mudando de emprego, mas logo descobrem que o médico, na verdade, é candidato a um tratamento em teste contra câncer no cérebro. Os três passam a investigar o caso de House e descobrem que o diagnóstico estava errado e ele não tem câncer. A animação do grupo não dura muito porque House revela que não era ele o paciente, e sim outro homem. Ele havia roubado o diagnóstico para poder participar do tratamento, que incluía receber drogas no centro de prazer do seu cérebro.
 

Alone (1 º ep. - 4ª temp.)
Como indica o nome, House começa a quarta temporada sozinho. Depois de perder Foreman, despedir Chase, e em seguida perder Cameron, o médico terá que lidar com seus casos sem os três assistentes. Cuddy insiste para que ele contrate uma nova equipe, mas ele se recusa e saí pelo hospital discutindo as teorias para diagnosticar sua paciente com quem quer que fale com ele, até mesmo o servente. House passa o episódio todo tentando solucionar o caso de Megan, que sofreu um acidente e está irreconhecível, mas só consegue ao descobrir que, na verdade, a paciente é Liz, vítima do acidente. Cuddy finalmente convence  House a procurar uma nova equipe e o episódio termina com a apresentação dos candidatos às vagas.

Houses’s Head (15º ep. - 4ª temp.) e Wilson’s Heart (16º ep. - 4ª temp.)
Os dois últimos episódios da quarta temporada são de mexer com o emocional dos mais brutos, incluindo o próprio House.
Um acidente de ônibus deixa House com amnésia parcial. O médico tem certeza que um dos passageiros que estava com ele vai morrer e passa o episódio lutando para lembrar-se quem está morrendo e por quê. Alternando entre realidade e alucinação, House busca dicas dentro se sua mente e acaba descobrindo que o tal passageiro é, na verdade, Amber, a namorada de Wilson.

Só descobrimos o sintoma da doença de Amber no segundo episódio, depois que Wilson pede que o amigo estimule o cérebro com eletricidade para lembrar-se: Amber estava ficando gripada e tomava pílulas de amantadina, o que causou uma intoxicação. No acidente, Amber teve seus rins destruídos, porque seu corpo não conseguiu filtrar a substância. Acabando com as esperanças do amigo, House derruba a possibilidade de hemodiálise, dizendo que não há nada que eles possam fazer.

A moça morre nos braços de Wilson, enquanto House, em coma por causa do procedimento do choque no cérebro, sonha com Amber. Ele revela que não quer continuar a sentir dor e se sentir culpado pela morte da paciente.

 
Broken (1º/2º ep. - 6ª temp.)
E para fechar, mais uma dobradinha. O primeiro episódio da sexta temporada, que teve duas partes,  mostra House na clínica de reabilitação, onde o médico se internou no final da quinta temporada. O diretor da clínica só liberará House para voltar a praticar medicina se ele terminar o tratamento, o que faz muito a contragosto. Mas no decorrer do episódio, vemos o esforço do médico para se integrar e ajudar os outros pacientes, até que ele finalmente pede ajuda e diz que quer melhorar.