Como perder barriga

Não é só na academia ou com qualquer dieta barata que você vai perder a barriga. Entenda porque ela existe e como resolver

O Centro de Controle de Doenças e Prevenção dos EUA publicou um estudo que diz que a dieta do mundo ocidental está entre 70 e 90% de amido, açúcares, e gordura - todos ingredientes para a formação da pança. Como perder a barriga avantajada? Primeiro de tudo, é importante entender como ela surgiu. Existem dois tipos de gordura abdominal: visceral e subcutânea. A gordura visceral fica embaixo da musculatura do abdômen e próxima aos órgãos internos. Não é aquela que você pode beliscar, e aqueles que possuem esse tipo de gordura podem sentir que os músculos estão rígidos, mesmo com a protuberância saliente. Já a gordura subcutânea fica acima dos músculos – esse é o material que transborda sobre o cinto.

A gordura visceral é mais fácil de queimar, porque há maior circulação de sangue na área onde ela se encontra e ela é mais sensível aos hormônios que estimulam a queima de gordura.

O que gera a pança gordurosa é a combinação de calorias em excesso e a ação de hormônios como cortisol e insulina. Quem já faz uma dieta focada na diminuição de calorias pode perceber que a gordura localizada no abdômen demora a ser queimada. Isso ocorre porque a causa da protuberância pode ser mais hormonal do que calórica, ou vice-versa.

O que mais influencia os níveis de insulina é a quantidade de amido e açúcar que você consome, e o que mais influencia os níveis de cortisol é o nível de estresse, que está diretamente relacionado ao descanso e a quantas horas você dorme por noite.

O cortisol é um hormônio um tanto esquizofrênico quando se trata de perda de gordura – ele aumenta o armazenamento de gordura devido à sua influência sobre a lípase lipoproteica (LPL), enzima responsável pelo armazenamento, e, ironicamente, também influencia e estimula a liberação de lipase sensível a hormônios (HSL), que aumenta a queima de gordura. Por si só o cortisol não tem um impacto muito grande comparado com a insulina. A relação entre estes dois é como colocar gasolina em um incêndio, pois a insulina pode desligar qualquer enzima de liberação de gordura, portanto, acentua os efeitos negativos do cortisol.

A solução para perder a barriga é substituir o açúcar e o amido com fibras e aumentar a ingestão de proteínas. Os alimentos com maior proporção de fibras em relação ao amido são os vegetais, e os com teor mais alto de proteína são os ovos e as carnes magras. Queijo e iogurte também são ricos em proteínas, mas possuem bastante açúcar, então consuma laticínios em pequenas quantidades.

Não só de dieta viverá o homem! É necessário que você faça exercícios físicos, também - torne a musculação a sua atividade dominante. O treinamento com pesos feito de maneira correta é melhor na queima de gordura, balanceia seus hormônios e faz bem ao coração. 

Rotinas de exercícios de 20 minutos, como agachamento/press, flexões e levantamento de peso são ótimos para perda de gordura e ganho de massa muscular. O número de repetições varia dependendo do seu condicionamento físico. Fazer alguns exercícios em intervalos também é uma boa ideia, como bicicleta. Pedale loucamente durante 20 segundos, faça uma pausa de 40 segundos, pedale por mais 30, descanse por 30, pedale 40, descanse 20, e assim por diante. Faça caminhada depois de um dia pesado na academia ou no trabalho, isso ajuda a relaxar e a diminuir o estresse. Tenha o sono como prioridade - durma de 8 a 10 horas por noite.

O mais importante é estar atento ao que funciona pra você. Você pode estar “comendo direito”, mas pode não obter bons resultados na perda de gordura, então não importa o quão saudável você acha que é a sua alimentação – não é o suficiente. Cada metabolismo pode reagir de formas diferentes a certos alimentos, você precisa experimentar e mudar sua dieta para achar aquilo que funciona para o seu corpo. Ir a um médico especialista para te orientar e auxiliar a achar essa dieta perfeita é o ideal. A barriga torneada é feita principalmente na cozinha, não na academia.